Sobre a Criopreservação

Criopreservação é o processo de congelamento, recorrendo à utilização de azoto líquido (-196ºC), com a descida controlada da temperatura até valores criogénicos.

O transplante de células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical é hoje utilizado para o tratamento de mais de 80 doenças.

Em todo o mundo já foram realizados mais de 20.000 transplantes com recurso a células estaminais, sendo que a probabilidade de utilização destas células é de 1 para 5000 no caso de doenças do sangue ou hereditárias, em crianças até aos 10 anos (www.parentsguidecordblood.org). Actualmente estão a decorrer projectos de investigação com o objectivo de encontrar soluções para várias doenças, nomeadamente Paralisia Cerebral, Enfarte do Miocárdio, Insuficiência Cardíaca, Esclerose Múltipla, Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, Diabetes Tipo I e Artrite Reumatóide.

A criopreservação garante a reserva de um dador 100% compatível com o seu filho. Constitui ainda uma fonte imediata em caso de necessidade, eliminando a dificuldade associada à procura de um dador compatível. Há ainda a possibilidade de utilizar as células em tratamento de familiares, caso se confirme a compatibilidade.

O processo de recolha de células é totalmente indolor para a mãe e para o bebé, contrariamente a outras fontes de células, nomeadamente a medula óssea.

No momento do parto, as células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical são uma óptima fonte para terapêuticas em áreas como a hematologia e a medicina regenerativa.